Respondendo em Versos

||
Olá, amigos! Feliz 2015! 
Vamos começar o ano com coisas boas? 

Hoje trago pra vocês uma brincadeira muito divertida que fizemos no grupo MENINAS QUE ESCREVEM EM CURITIBA. A ideia foi baseada numa entrevista da revista O Cruzeiro, que publicou em 1932 uma série de reportagens abordando quatro poetisas brasileiras. Da autoria de Pádua de Almeida, Um Inquérito Pantheísta e Sentimental entre as mais notáveis figuras femininas na arte e literatura brasileiras, trazia algumas perguntas respondidas pelas artistas enfocadas. O mais interessante é que todas as perguntas foram respondidas em versos.


Trecho da matéria original: 

"Fazer uma "enquête" para conhecer-se uma alma é como abrir uma janella sobre uma paysagem: nunca deixa de trazer um pouco de belleza, de luz e de imprevisto aos nossos olhos.
E há almas que são verdadeiros panoramas. Descerram-se até ás distâncias mais longínquas, mostrando ora o seu pessimismo, que nos dá a ideia de montanhas altas entre brumas, ora o seu amor á vida ambiente, que nos faz recordar vegetação, pássaros e sol.
Imaginando essas cousas é que resolvemos lançar esta "enquête". Ella nos vae descortinar, de um modo suave e pittoresco, a sensibilidade e a índole contemplática de algumas das mais expressivas artistas e intellectuaes brasileiras.
Como dissemos, compõe-se de oito perguntas o questionário que distribuímos a várias damas e senhorinhas cuja vida intellectual e artística é amplamente conhecida, pois os seus nomes estão quasi sempre á baila nas chronicas de arte e literatura dos nossos periódicos."


Aqui você pode conferir a entrevista original com a poeta Maria Sabina: http://bonavides75.blogspot.com.br/2014/03/respondendo-em-versos-maria-sabina.html?spref=fb 

E ESSE É O MEU QUESTIONÁRIO: 
  
a) Em que país do mundo desejaria viver? Em uma terra glacial ou numa região inundada constantemente de sol?

Aonde tenha sol eu viverei
Ainda que o sol esteja só em mim
Que importam os países, as fronteiras
Onde estiver o meu tesouro
Aí estará também meu coração

b) Que estação do ano prefere? E qual a que está mais de acordo com a sua sensibilidade?

Como a larva se transforma em borboleta
E a fênix ressurge das cinzas
Meu coração está em constante renovação
Minha alma em eterna metamorfose
Venço verões, outonos e invernos
Para mais bela florescer na primavera

c) A observação lhe parece mais útil e interessante que a leitura?

Alma sensível e curiosa
Quieta fico a observar
Dores invisíveis, gestos de amor incondicional
A vida pulsando, o momento, a sensação

Leio depois para melhor entender
Mistérios humanos que não sei expressar
Mas que compreendo em cada linha
Que algum poeta antigo escreveu

d) Que hora do dia lhe agrada mais? Por quê?

Quando as ruas se aquietam
E o mundo está a dormir
No céu negro a lua é clara
Clareia os pensamentos

Novas percepções afloram
Esferas se abrem a explorações
É tempo de silenciosa liberdade
De navegar dentro de mim

e) Gosta mais dos céus estrelados que das noites de tempestade?

Os céus refletem estados da alma
E a minha está sempre enamorada
Se há tempestades nem as vejo
Estou perdida a contar estrelas

f) A humanidade lhe desperta maior atenção que a natureza?

O homem faz parte da natureza
E dela não se distingue
É antes seu próprio relicário
De água, pó, fôlego e chama
Existência ambígua
Que fere a si mesma
Quando egoísta se ama

g) Que mais a sugestiona: o silêncio ou a palavra?

Palavras inteiras ou meias palavras
Nenhuma fala mais do que o silêncio
Que abre universos de possibilidades
E a eterna dúvida das ilusões

h) Em seu temperamento, a ilusão do amor vencerá a ilusão da glória?

De nada serve a glória sem amor
Se por ele toda glória trocaria
Aquele que ama e se rebaixaria
Ao verme mais vil se precisasse

O amor é a ilusão eterna
Que glorifica a existência humana.

É ISSO AÍ, ESPERO QUE TENHAM GOSTADO DA BRINCADEIRA.
BEIJÃO!!!


Nenhum comentário:

© Francine Cruz - 2012. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Zuky.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo