Resumos Bienal 2 Sérgio Rodrigues e Adriana Lisboa

||
Tema: Literatura Digital, e-book e o leitor do futuro: há uma revolução em curso?



Para os autores, a literatura é feita com palavras, por isso, no caso da multimídia (literatura junto com artes visuais, música, etc...) deveria mudar de nome. O escritor na verdade não seria mais "escritor" e sim um contador de histórias.
O Sérgio deu até mesmo um exemplo: A ópera é a junção de teatro e música e tem seu nome próprio: ópera!
Entretanto, para ambos a forma tradicional de escrita só com palavras tem seu valor e se perpetua pois muitas vezes o que o escritor pensa não é aquilo que o leitor vai imaginar ao ler a obra.

Para eles, a palavra é revalorizada com a internet através do uso de blogs, msn, redes sociais, pois as pessoas sentem necessidade de se expressar com palavras.

Um detalhe porém, é que o uso da internet, facilitando a capacidade de interligar assuntos desconexos (surfando de hiperlink em hiperlink) faz com que as pessoas passem a ler mais sobre mais coisas mas com pouco aprofundamento. As pessoas estão menos pacientes, leem textos mais curtos e sintéticos, o que pode ser reflexo também de um ritmo de vida mais acelerado.
Nesse sentido, para os autores, a literatura seria como "um último santuário de calma e aprofundamento" onde as pessoas poderiam "descansar" do ritmo de vida acelerado com um romance de 500 páginas.

Sobre as redes socias, os autores a enxergam como uma forma de divulgação dos trabalhos. No entanto, alertam para o seguinte: a facilidade de publicação na internet pode causar uma publicação apressaa e "verde", que talvez ainda precisasse ser lapidada e amadurecer antes de ser publicada.

Para Adriana há prós e contras a leitura no computador: ler no computador é desconfortável, porém é mais prático e ecológico.

Os autores também compararam a forma de escrita limitada do twitter (142 caracteres) com a forma do Haicai (17 sílabas).

Para finalizar comentaram que o leitor precisa ter uma bagagem educacional para discernir o que é bom ou confiável na internet e que o autor precisa criar um tempo para escrever e isso é uma coisa solitária (precisa abdicar de outros prazeres e de companhia) e lembraram também que, nesse ponto, as redes sociais podem ser um "sugador de atenção efêmero" fazendo o escritor desperdiçar um tempo precioso, por isso é necessário ter muita disciplina e saber diferenciar a vida virtual da vida real.

Nenhum comentário:

© Francine Cruz - 2012. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Zuky.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo